“‘Eu de bom grado escreveria apenas para os mortos’: Sucesso e recepção em Baudelaire.”

Autores

  • Gilles Jean Abes Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.25094/rtp.2019n28a624

Palavras-chave:

Baudelaire, Sucesso, Recepção, Correspondência

Resumo

O presente artigo procura abordar os temas do sucesso e da recepção da e na obra de Charles Baudelaire. Trata-se, no que tange à recepção, da ótica do autor, de suas expectativas em relação à sua obra e ao leitor do século XIX. Sobre o sucesso, o meu ponto de partida é o ensaio de Maurice Blanchot “L’échec de Baudelaire”. Nesse sentido, o conceito “horizonte de expectativas”, do historiador alemão Reinhart Koselleck ([1979] 2006), ajuda-me a entrever possíveis veredas de pesquisa sobre a noção de sucesso a partir da correspondência – principalmente as cartas à mãe – e da obra do autor. Assim, o que essa reflexão procura evidenciar são os debates em torno do que seria um vida de sucesso e as expectativas do poeta em relação à sua obra, aos leitores e à perenidade de seu nome na literatura francesa.

Biografia do Autor

Gilles Jean Abes, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor Adjunto do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras, no curso Letras-Francês, e Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. “Poema da necessidade”. In: Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2006.

BLANCHOT, Maurice. La part du feu. Paris: Gallimard, 2003.

BANDY, W. T.; PICHOIS, Claude (Org.). Baudelaire devant ses contemporains. Paris: Éditions du Rocher, 1957.

BANVILLE, Théodore de. “Elogio fúnebre”. In: Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 38, nº esp. Baudelaire 150 anos, p. 184-188, ago-dez, 2018. Tradução de Gilles Jean Abes.

BAUDELAIRE, Charles. Correspondance. Vol. I, II: 1832-1860 / 1860-1866. Paris: Gallimard, 1973.

__________. Correspondance. Choix et présentation de Claude Pichois et Jérôme Thélot. Paris: Gallimard, 2003.

__________ . Poesia e prosa: volume único. / Charles Baudelaire; edição organizada por Ivo Barroso. – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.

______________. Pequenos poemas em prosa: O Spleen de Paris. Prefácio de Marcelo Jacques de Moraes. Tradução e notas de Isadora Petry e Eduardo Veras. – São Paulo: Via Leitura, 2018.

COMPAGNON, Antoine. “Le classique”. 2011. Disponível em: < https://www.college-de-france.fr/site/antoine-compagnon/articles_en_ligne.htm >. Acessado em: 26 de maio de 2019.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Tradução do original alemão Wilma Patrícia Maas, Carlos Almeida Pereira; revisão da tradução César Benjamin. – Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

PERROT, Michelle (org.) História da vida privada, 4: Da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Tradução Denise Bottmann, Bernardo Joffily – São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

VALÉRY, Paul. “Situation de Baudelaire.” In: Variété I et II. – Paris: Gallimard, 2002.

WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade: na História e na literatura. – São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Downloads

Publicado

2019-10-15

Como Citar

Abes, G. J. (2019). “‘Eu de bom grado escreveria apenas para os mortos’: Sucesso e recepção em Baudelaire.”. Revista Texto Poético, 15(28), 7–30. https://doi.org/10.25094/rtp.2019n28a624