Poesia por outros meios: a prática citacional em Adília Lopes e Carlito Azevedo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25094/rtp.2021n32a747

Palavras-chave:

Adília Lopes e Carlito Azevedo, Citações, Paródia, Pastiche, Hibridismo.

Resumo

Desenvolve-se uma leitura comparativa de alguns poemas da poeta portuguesa Adília Lopes e do poeta brasileiro Carlito Azevedo, na qual se evidencia uma poética citacional, híbrida e não original. Ambos possuem poemas que se servem de intertextos diversos, que vão desde citações de nomes e de apropriação de discursos à criação de hipertextos paródicos e em pastiche. Utiliza-se como corpus as obras Manhã (2015), Bandolim (2016), Estar em Casa (2018) e Dias e Dias (2020) de Adília Lopes, bem como Monodrama (2009) e Livro das postagens (2016) de Carlito Azevedo.

Biografia do Autor

Paulo Alberto da Silva Sales, Instituto Federal Goiano

Professor de Linguagens no Instituto Federal Goiano – Campus Hidrolândia/IF Goiano, Hidrolândia, Goiás, Brasil, e do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Língua, Literatura e Interculturalidade da Universidade Estadual de Goiás – Campus Cora Coralina/UEG, Cidade de Goiás, Goiás, Brasil.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

AZEVEDO, Carlito. Collapsus linguae. Rio de Janeiro: Editora LYNX, 1991.

AZEVEDO, Carlito. Livro das postagens. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

AZEVEDO, Carlito. Monodrama. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

AZEVEDO, Carlito. Sublunar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

BARTHES, Roland. A morte do autor. In: O rumor da língua. Tradução Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004. p. 57-64.

BARTHES, Roland. Crítica e verdade. Tradução Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Perspectiva, 2011.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Tradução J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2010.

BARTHES, Roland. Roland Barthes por Roland Barthes. Tradução Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

BARTHES, Roland. Sade, Fourier, Loyola. Tradução Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Tradução Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Ed. UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

COMBE, Dominique. A referência desdobrada: o sujeito lírico entre a ficção e a autobiografia. Revista USP, São Paulo, n. 84, p. 112-128, 2010.

COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação. Tradução Cleonice P. B. Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

DÄLLENBACH, Lucien. Le récit speculaire : essai sur la mise en abyme. Paris : Éditions du Seuil, 1977.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Tradução Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2008.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Tradução António Fernando Cascais. Lisboa: Vega, 2006.

GARRAMUÑO, Florencia. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes. La littérature au second degré. France: Éditions du Seuil, 1982.

GIDE, André. Os moedeiros falsos. Tradução Mário Laranjeira. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

HOESTEREY, Ingeborg. Pastiche: cultural memory in art, film, literature. Bloomington: Indiana University Press, 2001.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da paródia: ensinamentos das formas de arte no século XX. Tradução Tereza Louro Pérez. Lisboa: Edições 70, 1985.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. Tradução Maria Elisa Cevasco. São Paulo: Ática, 2007.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. Tradução Lúcia Helena França Ferraz. São Paulo: Perspectiva, 2005.

LOPES, Adília. Bandolim. Porto: Assírio & Alvim, 2016.

LOPES, Adília. Dias e dias. Porto: Assírio & Alvim, 2020.

LOPES, Adília. Dobra: poesia reunida (1983-2014). Porto: Assírio & Alvim, 2014.

LOPES, Adília. Estar em casa. Porto: Assírio & Alvim, 2018.

LOPES, Adília. Manhã. Porto: Assírio & Alvim, 2015.

MARTELO, Rosa Maria. Poesia e des-equilíbrios. In: MARTELO, Rosa Maria. A forma informe: leituras de poesia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p. 9-18.

MARTELO, Rosa Maria. As armas desarmantes de Adília Lopes. In: MARTELO, Rosa Maria. A forma informe: leituras de poesia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. p. 235-252.

MORICONI, Italo. Poesia e crítica, aqui e agora (ensaio de vocabulário). In: REZENDE, Beatriz; FINAZZI-AGRÓ, Ettore. Possibilidades da nova escrita literária no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 2014. p. 81-90.

PERLOFF, Marjorie. O gênio não original: poesia por outros meios no novo século. Tradução Adriano Scandolara. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Texto, crítica, escritura. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ROSE, Margaret. Parody: Ancient, Modern, and Post-Modern. New York: Cambridge, 1993.

SAMOYAULT, Tiphaine. A intertextualidade. Tradução Sanda Nitrini. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2008.

SCRAMIM, Susana; HONESKO, Vinícius. Apresentação. In: AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

SISCAR, Marcos. De volta ao fim: o “fim das vanguardas” como questão de poesia. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

SÜSSEKIND, Flora. Ego trip: uma pequena história das metamorfoses do sujeito lírico. In: SÜSSEKIND, Flora. Papéis colados. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003. p. 305-318.

Downloads

Publicado

2021-02-14

Como Citar

Sales, P. A. da S. (2021). Poesia por outros meios: a prática citacional em Adília Lopes e Carlito Azevedo. Revista Texto Poético, 17(32), 37–66. https://doi.org/10.25094/rtp.2021n32a747