“Viagem a Citera, Travessias Poéticas”

Autores

  • Celina Maria Moreira de MELLO

DOI:

https://doi.org/10.25094/rtp.2005n3a181

Resumo

Neste ensaio dissertamos sobre a gênese do poema de Baudelaire, “Uma viagem a Citera”, em uma perspectiva sócio-histórica, discursiva e inter-semiótica. O poema inscreve-se em uma rede de textos de poetas da Boêmia do Doyenné, que associam telas e temas do pintor Watteau à melancolia e à morte. No espaço da criação poética, compartilhado por pintores e poetas, funda-se uma nova academia que confere a Watteau um valor alegórico. O poema de Baudelaire, “Uma viagem a Citera”, não constitui uma transposição do quadro homônimo de Watteau, conforme a estética da “fraternidade das artes”, marcando entretanto o mesmo posicionamento anti-acadêmico no campo literário. O trabalho de pesquisa de fontes foi realizado na Fundação Biblioteca Nacional, com apoio do CNPq.

Downloads

Como Citar

MELLO, C. M. M. de. (2014). “Viagem a Citera, Travessias Poéticas”. Revista Texto Poético, 2(3). https://doi.org/10.25094/rtp.2005n3a181

Edição

Seção

Artigos