A genealogia do amor em Hilda Hilst

Enivalda Nunes Freitas e SOUZA

Resumo


Em Cantares, Hilda Hilst dedica-se à construção da imagem do amor: amante e amado raramente se encontram e sempre se desencontram reencenando os ritos amorosos que os homens sonharam e que os mitos e os poemas perpetuaram. Para o desenvolvimento desse tema, este artigo ancora-se nos mitos platônicos, Eros e sua genealogia complexa e os andróginos desafortunados, reveladores da contingência amorosa que se desdobra e metamorfoseia progressivamente no testemunho da busca infindável de um gozo jamais fruído.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.25094/rtp.2009n6a156

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Indexado nas seguintes bases bibliográficas:

Periódicos Capes  Latindex  Diadorim  Abec  Google Acadêmico  Sumários.Org  LivRe  DOAJ   Clase