Notícias

Chamada de trabalhos

 
A Texto Poético convida pesquisadores/as do Brasil e do exterior a submeterem trabalhos para o seu número 33 (previsão de publicação: maio de 2021). Aceitamos contribuições em forma de artigos, resenhas e traduções de ensaios acadêmicos, abarcando estudos sobre crítica, teoria e ensino de poesia. Além da tradicional seção Vária, a chamada contempla o dossiê temático:

Poesia, natureza e paisagens em risco 

Este dossiê propõe-se a refletir, no campo da poesia, sobre natureza, paisagem, destruição e ruína,  apreendidas por subjetividades diversas. Poetas modernos e contemporâneos revelam, em suas composições, que o deslocar-se de um lugar para outro pr oporciona uma mudança do eu em relação ao mundo. Michel Collot (2013) destaca que: “A paisagem não é apenas vista, mas percebida por outros sentidos, cuja intervenção não faz senão confirmar e enriquecer a dimensão subjetiva desse espaço, sentido de múltiplas maneiras e, por conseguinte, também experimentado. Todas as formas de valores afetivos – impressões, emoções, sentimentos – se dedicam à paisagem, que se torna, assim, tanto interior quanto exterior” (Poética e filosofia da paisagem[Coord.trad. Ida Alves]. Rio de Janeiro: Editora Oficina Raquel, 2013. p. 26) e, sobre a viagem e o viajante, Michel Onfray afirma que: “A viagem, de fato, é uma ocasião para ampliar os cinco sentidos: sentir e ouvir mais vivamente, o olhar e ver com mais intensidade, degustar ou tocar com mais atenção – o corpo abalado, tenso e disposto a novas experiências, registra mais dados que de costume. [...] O corpo se abre à experiência, registra e armazena o difuso, o diverso. [...] Um bom viajante possui uma capacidade de registrar as menores variações, é sensível aos detalhes, à informação microscópica”. (Teoria da viagem: poética da geografia. [Trad. de Paulo Neves]. Porto Alegre: L&PM Editores, 2009. p. 49-50, 61). O objetivo desta chamada é, portanto, provocar estudos que privilegiem a análise de como os poetas do século XX e XXI explicitam sua relação com a natureza ou com a paisagem, a partir de novos deslocamentos e experiências de degradação de espaços e lugares habitados por seres vivos. A partir de que perspectiva, paisagens, espaços naturais e urbanos são (re) configurados  na poesia moderna e contemporânea? Como a destruição da natureza e as transformações paisagísticas provocadas pelo homem e/ou por catástrofes naturais são recriadas em poéticas diversas? Serão bem-vindos também estudos de ecopoética, geopoética e geografia literária.

Organizadores: Ilca Vieira de Oliveira (Unimontes) e  Natália Constâncio (IELT - Nova -FCSH)
 
As submissões devem ser feitas exclusivamente pela página virtual da revista, após consulta às suas normas editorais: http://textopoetico.emnuvens.com.br/rtp/about/submissions#onlineSubmissions
 
Prazo para envio de trabalhos: 31 de janeiro de 2021.
 
Publicado: 2020-10-23
 

Novo número no ar!

 
Já está disponível para leitura o número 31, com o dossiê Poesia contemporânea em performances urbanas.  
Publicado: 2020-10-01
 
1 a 2 de 2 itens


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia